Capela do Sr. Jesus dos Aflitos


Situado na freguesia de Fortios, concelho de Portalegre está o Santuário do Senhor Jesus dos Aflitos que, desde os meados do século XVIII, se afirmou como o principal centro de devoção e de peregrinação desta região.
A ermida que é anterior a 1720 e foi restaurada em 1870 possui um interessante conjunto de 52 ex-votos.
Anualmente são celebradas as festividades do Senhor Jesus dos Aflitos  com a participação sempre numerosa de peregrinos vindos de todo o país, festividade esta realizada sempre no primeiro Domingo do mês de Maio.  

Segundo o P. Bonifácio Bernardo, «...certo homem foi ali assassinado. Em sua memória foi lá colocada uma simples cruz, sem imagem, que foi roubada. Em sua substituição, D, Mariana  de Valadares manda colocar lá outra cruz, na qual foi pintada a imagem do Senhor crucificado; esta cruz foi primeiramente guardada num nicho; surgiram devotos que, pela oração e pela fé, foram beneficiados na doença o uno perigo, e a devoção divulgou-se rapidamente em toda a região».

In Senhor Jesus dos Aflitos - Origens - 1713-1845, Ed Colibri, pág 22.

O Santuário apresenta as seguintes características:

«Um amplo adro, com cerca de 2000 m2 – onde, desde 1942, se erguem seis plátanos, uma amoreira e um eucalipto, e a cuja entrada se encontra a ermida primitiva do Senhor dos Aflitos, construída em 1774/75, ladeado à esquerda pelas seis primitivas hospedarias, em que eram acolhidos os romeiros devotos, em tempos idos – conduz-nos ao majestoso templo, laboriosa e incansavelmente erguido, arrostando as numerosas dificuldades que ao longo de quase um século foram aparecendo.
A igreja tem duas torres: na do lado direito, pendem dois sinos grandes, que tocam no dia da festa do Senhor; na do lado esquerdo, apenas uma sineta, para compor.
Quem entra na igreja, tem à sua direita a casinha dos milagres 8ali são recolhidas as lembranças em cera, testemunhando o agradecimento dos devotos). Encima o coro servido pelas escadas que conduzem até aos sinos da torre.
É no altar-mor, em oratório envidraçado que se pode ver a primitiva imagem do Senhor dos Aflitos. À direita a imagem de S. Paulo e à esquerda a imagem de Nossa Senhora da Conceição.  
Os altares laterias são dedicados, o do lado direito a S. Pedro de Alcântara, ladeado pelas imagens de Santo António e de S. Francisco de Assis. Junto a este altar, uma pintura a óleo representando o Senhor Crucificado. O altar do lado esquerdo é dedicado a S.João Baptista, ladeado pela imagem da Virgem Maria e de S.Francisco Xavier. Também junto a este, pintura a óleo com Senhor Crucificado, com o titulo de Senhor da Pobreza, como se pode ler no mesmo. 
O púlpito real fica do lado esquerdo, e é servido por umas escadas de adobo que sobem de junto à única porta lateral da igreja, a Oriente. Frente a este, um púlpito igual, apenas para fazer simetria. 
A igreja é ladeada por duas ruas estreitas. Entrando pela da esquerda, vemos a chamada casa dos ramos, a casa do ermitão, a única com dois pisos, uma outra hospedaria e, recuando cerca de três metros, à esquerda, já no adro atrás da igreja, fica a antiga cavalariça e o primitivo forno de cozer pão, restaurados em 2000/01. Em frente e rodando à direita, progressivamente, fica a casa de banho das senhoras, o alpendre com manjedoira, onde antigamente eram presas as bestas, e onde se conservam as argolas em que eram arreatadas, pela corda do cabresto, e as casas de banho dos homens. Paralela à dita rua, fica a rua da direita, ladeada pela igreja, pela horta do Senhor, e pelo pequeno touril, onde transitoriamente se guardavam os animais que, pela festa, era antigamente costume oferecer.»

In Bonifácio Bernardo, Aldeia dos Fortios – Memoria Histórica, Ed Colibri, pág 115 a 117.

Falemos ainda na Confraria do Senhor Jesus dos Aflitos, a qual foi constituída particularmente para promover o culto e devoção a Jesus Crucificado, hoje, “Senhor Jesus dos Aflitos”. A Confraria zela por este belo lugar de devoção, cuidando da limpeza e manutenção dos edifícios, tanto a igreja como pelo edificado adjacente.